domingo, 30 de maio de 2010

É fundamental apoiar a produção nacional! - 560 - 560 - 560 !!! - VAMOS VENCER O FUTURO !

Portugal volta a perder o Festival Eurovisão da Canção
MAS CANTOU NA NOSSA LÍNGUA - PORTUGUÊS !

Dá-lhe música!http://psicolaranja.blogs.sapo.pt
Vencedora foi a Alemanha, Portugal ficou em 18.º lugar
A Alemanha venceu este sábado o Festival Eurovisão da Canção, à frente da Turquia e da Roménia, enquanto a canção portuguesa, «Há Dias Assim», interpretada por Filipa Azevedo, ficou em 18.º lugar, entre 25 finalistas.  Lena Meyer-Landrut, de 19 anos, com o tema «Satellite», foi a grande vencedora da noite, somando 246 pontos. Esta foi a segunda vitória da Alemanha no certame, depois do triunfo alcançado em 1982. A Turquia, segunda classificada, somou 170 pontos, enquanto a Roménia, com 162, foi terceira, após a votação de 39 países, baseada nos votos de telespectadores e de um júri especializado.

Portugal somou um total de 43 pontos, sendo França (8 pontos), Alemanha (6), Espanha (6), Letónia (6), Suíça (5), Dinamarca (4), Arménia (4), Sérvia (2), Islândia (1) e Malta (1) os países que votaram na canção lusa. A canção portuguesa, com letra e música do jornalista Augusto Madureira, foi uma das dez canções que terça-feira passou à final, que se realizou esta noite na Telenor Arena, nos arredores de Oslo, capital da Noruega, com 16 mil pessoas a assistirem. Filipa Azevedo, de 18 anos e natural do Porto, venceu em 2007 o programa «Família Superstar» e em Março deste ano o Festival RTP da Canção. Lúcia Moniz, com a canção «O meu coração não tem cor», alcançou em 1996 a melhor classificação de sempre de Portugal, o sexto lugar.
O Festival da Eurovisão foi seguido por 120 milhões de espectadores em 39 países europeus e ainda na Birmânia, Austrália e Nova Zelândia.
EM 2009 FOI ASSIM:

PARA VENCERMOS "560"

Jesús, el Niño Dios - BOM DOMINGO !

LUIS 14, LUIS 15 E LUIS 51! - Quem tem medo da verdade ?

Poema de Mia Couto Moçambique
POBRES DOS NOSSOS RICOS
A maior desgraça de uma nação pobre é que em vez de produzir riqueza, produz ricos.
Mas ricos sem riqueza.
Na realidade, melhor seria chamá-los não de ricos mas de endinheirados.

Rico é quem possui meios de produção.
Rico é quem gera dinheiro e dá emprego.
Endinheirado é quem simplesmente tem dinheiro. ou que pensa que tem.
Porque, na realidade, o dinheiro é que o tem a ele.
A verdade é esta: são demasiados pobres os nossos "ricos".
Aquilo que têm, não detêm.
Pior: aquilo que exibem como seu, é propriedade de outros.
É produto de roubo e de negociatas.

Não podem, porém, estes nossos endinheirados usufruir em tranquilidade de tudo quanto roubaram.
Vivem na obsessão de poderem ser roubados.
Necessitavam de forças policiais à altura.
Mas forças policiais à altura acabariam por lança-los a eles próprios na cadeia.

Necessitavam de uma ordem social em que houvesse poucas razões para a criminalidade.
Mas se eles enriqueceram foi graças a essa mesma desordem (...)
ESTADO DE DIREITO DEMOCRÁTICO OU ESTADO ‘TORTO’ ?
Quem tem medo da verdade ?
Sob o título “PGR e PSD em clima de tensão”, divulga hoje o jornal “D.N.” e outros órgãos de informação que os despachos proferidos pelo Dr. Pinto Monteiro a partir da certidão que recebeu do Tribunal de Aveiro, incriminando o Sr. PM, com escutas, o mesmo continua a negá-los aos deputados do PSD Fernando Negrão (ex-Juiz) e P. Aguiar Branco (advogado), que lhos pediram. A mais uma insistência , respondeu ora o SR. PGR, com o carimbo de "confidencial", questionando os Deputados sobre qual o seu "interesse real" na divulgação dos seus despachos.
Considerando ainda o Dr. Pinto Monteiro que há uma "contínua chamada do procurador-geral a um terreno político...", tal levou aqueles Deputados a recordar ao Sr. PGR que os pedidos de esclarecimento que lhe foram dirigidos correspondem "ao exercício de um poder constitucional para a obtenção de um total esclarecimento de um processo que tem vindo a assumir contornos de alguma incompreensão e que interessa a todos os portugueses ver esclarecido".
Segundo o semanário “Sol”, face à insistência dos Deputados, o Sr. PGR pediu um parecer a Noronha do Nascimento, presidente do Supremo Tribunal de Justiça, sobre a questão. .. (nota: foi este que ordenou a destruição das escutas que envolviam directamente Sócrates).
Sobre este assunto e todas as questões que envolve, a minha consciência de cidadão, impõe-me que faça algumas simples perguntas:
1. Desde quando e a pretexto de quê conversas entre um primeiro-ministro e outros políticos, envolvendo assuntos e negócios de Estado, podem ser tidas como meras conversas privadas, quando é evidente o seu interesse público e a possível ofensa do bem comum e da coisa pública?
2. Como é possível até invocar o segredo de justiça, ao abrigo do Códº de Procº Penal, se não foi aberto qualquer processo-crime a partir da certidão extraída do chamado processo “Face Oculta”, remetida ao Sr. PGR pelo Tribunal de Aveiro?
Como jurista, entendo que as 'explicações' do Sr. PGR não têm fundamento legal, desde logo porque ele não instaurou um inquérito crime ao Sr. PM, quando recebeu as certidões de Aveiro, como era seu dever legal. Assim, as justificações dele não são jurídicas, mas sim políticas, ou seja, ele não age como Procurador-geral da República mas sim como Encobridor-geral do primeiro-ministro. Por isso e face à sua falta de isenção, não entendo a inação do Sr. Presidente da República, que o nomeou sob proposta do governo. Por isso, faço uma última pergunta:
3. Quem tem medo da verdade e porquê? - In: http://sol.sapo.pt/blogs/jorgepaz/default.aspx

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Para quem ainda não entendeu o alerta do dia 22 passado neste blogue !

Um funcionário administrativo consular português na Suíça ganha, em média mensal, incluindo o 13° e 14° mês, depois dos mais de 35% de descontos do seu ordenado bruto tributado como residente em PORTUGAL, como vencimento liquido 2800 Euros. Não consegue, porque trabalha num consulado, um apartamento, T2 ou T3, por menos de 1.400 Euros. Por conseguinte restam-lhe 1.400, mas tem de pagar o seguro de responsabilidade civil contra terceiros, o seguro de doença e acidentes para a esposa e filhos, os custos de manutenção do apartamento (lixo, electricidade, esgotos, agua, ligação à rede de cabo TV e ràdio, porteiro, telefone, etc.), que é tudo obrigatório num valor que ronda os 400 Euros restando-lhe 1000 na melhor das hipóteses. Se tiver um automóvel poder-se-à abater mais 200 por mês no minimo e restam-lhe 800.
Em caso de doença paga no minimo 10% das despesas do proprio bolso, mesmo com o seguro obrigatório, Tratamento de dentes então nem falar, não faz parte do seguro de doença. Se incluir a creche dos filhos, etc., sobram uns 300 Euros por mês para comer vestir e se possivél umas férias por ano em Portugal. Como é  conhecido a Suíça não pratica os mesmos preços de Portugal (1 café custa 3 Euros, 1 Kilo de carne 15, etc.).
Por conseguinte, quando alguém olha para o vencimento declarado no IRS anual e tributado como residente em Portugal, é evidente que existe quem pense que "estes gajos" ganham para brutos e devem é ficar calados! - Infelizmente não é assim !!! - Por isso não ficam calados, por desejarem continuar a dar uma  imagem de Portugal excelente, mesmo em condições dificéis, num país no qual estão, afinal apenas, para servir os seus compatriotas e promover Portugal. POR PORTUGAL COM VERDADE !
LEMBRETE
IMPOSTOS - ALERTA !
Nova tabela de retenção na fonte já em vigor prejudica fortemente os funcionários portugueses activos no exterior
CONSULTE AQUI A NOVA TABELA:
Funcionários consulares e diplomáticos, professsores portugueses no exterior, etc, "à beira de uma crise de nervos" porque são igualmente abrangidos e tributados como se residentes em Portugal, para além de já sofrerem prejuízos cambiais. Alguns iniciaram entretanto tarefas paralelas como nos anos 70 para fazerem face aos compromissos e puderem pagar a renda de casa, creche dos filhos, seguros obrigatórios, etc.
Não admira que em breve se inicie como então venda de bilhetes de avião nos consulados, também pelos professores, oferta de abertura de contas bancárias, contratos de seguros e créditos, para que possam com um minimo de dignidade pessoal exercer as suas responsabilidades junto do país em que estão destacados. A HISTÓRIA REPETE-SE, PORQUÊ? - ALGUÉM ACORDA
NOTADORES -Tocou em ponto sensível
Do STCDE, imagine-se! É mesmo do STCDE: http://www.stcde.pt/
as considerações do Plenty-Potenciário em resposta ao chanceler Ruella, suscitam a pertinência de uma resposta do STCDE, para o que nos parece suficiente transcrever parte da carta-aberta dirigida às senhoras e aos senhoras diplomatas em 12 de Maio de 2003, que mantém toda a actualidade. melhores saudações sindicais - jorge veludo
O REGIME DE APOSENTAÇÕES
(Resumidamente, de uma forma muito simplista) pode dizer-se que, sendo o regime de aposentações contributivo, quem paga recebe, quem não paga não recebe, ou seja, virá a receber-se em função do que se contribuiu. E há, seguramente, muitos colegas nossos que prefeririam contribuir menos e vir a ter aposentações inferiores, ficando com um líquido mensal superior ao longo da sua vida profissional.
Da mesma forma que, alguns dos senhores, mais preocupados com os rendimentos após a aposentação, poderão aplicar meios financeiros, recebidos do MNE para além do vencimento, em seguros de vida ou planos de poupança reforma, por exemplo.
Importa, contudo, referir, que a questão não deixou de ser abordada aquando da negociação do estatuto profissional. Aquilo que teria sido lógico, e foi ensaiado, era termos escalões, índices e valor de índice 100 como na Administração Pública e, à semelhança do que se aplica a outros funcionários no estrangeiro, acoplar aos vencimentos, abono(s) ou subsídio(s), variáveis de país para país, eventualmente também em função dos grupos profissionais, das carreiras ou das categorias, sobre os quais não incidiriam retenções para a Caixa Geral de Aposentações e para a ADSE (mas, observe-se de passagem, deveriam incidir retenções em sede de IRS (, as quais, acrescidas àquelas, chegam a custar-nos 42,5%).
Duas razões conduziram a que os ensaios nesse sentido tivessem sido negativos:
O nosso sistema retributivo era (e ainda é, em certa medida) de tal modo caótico que, ou se baixavam alguns salários (o que é, logicamente, ilegal), ou se subiam significativamente outros (e não havia dinheiro para tanto), ou haveria categorias inferiores com abonos mais elevados do que as que lhe estão acima (o que seria incongruente).
Como a política de recursos humanos para os serviços externos sempre foi casuística e desatenta da legalidade, muitos colegas nossos não beneficiavam de cobertura pelo que à Segurança Social diz respeito, embora se trate de um princípio estruturante da Constituição da República (diga-se, aliás, que continua a haver quem esteja nessa situação e, registamos com desagrado, confrontamo-nos com indiferenças e resistências à resolução desta escandalosa ilegalidade).
Daí que, recorrendo ao princípio metodológico da Administração Pública portuguesa do "desenrasca", se tivesse permitido aos colegas portugueses nesta situação a sua inscrição na CGA, pagando contribuições sobre o salário global, universo este que já constituía metade dos entretanto vinculados.
Como não era aceitável/legal estes trabalhadores passarem a reter menos na sequência da transição, ou se criavam dois grupos de vinculados – previamente inscritos/novos inscritos -, o que não pareceu equilibrado (e ainda seria mais difícil de gerir para o pobre do DGA que nem assim dá conta do recado), ou restava a solução adoptada. Mas vale a pena ponderar que, se a situação daqueles que se vão aposentando é, naturalmente, agradável, não deixa de doer o que todos os meses nos é retido para o efeito. Mas não temos escolha. (in: carta aberta às senhoras e aos senhores diplomatas, 12.05.03) - In: http://www.notasverbais.blogspot.com . 24 Maio 2010
A diferença das espécies

Há crise quando se torna evidente que só há duas espécies de seres humanos: os que são a causa dela e os que sofrem os seus efeitos. - Manuel CDIV Paleólogo©

Vinhos portugueses conquistam 24 medalhas em Itália - “VINHOS DE SILVES” PREMIADOS EM ITÁLIA

Oitenta produtores de vinho portugueses participaram este ano pela primeira vez no concurso enológico internacional "Selezione del Sindaco", em Itália, conquistando 24 medalhas, seis delas de ouro e 18 de prata.
A participação, em representação dos 22 municípios filiados na Associação de Municípios Produtores de Vinho (AMPV), insere-se na estratégia de "elevar a notoriedade e valorização dos vinhos portugueses" no mercado internacional, segundo um comunicado da associação com sede no Cartaxo.
O "Selezione del Sindaco" (a seleção do presidente) é um concurso enológico internacional organizado pela Citta del Vino, congénere italiana da AMPV, que decorreu no passado fim de semana na cidade italiana de Brindisi, sendo o único concurso internacional a prever a participação conjunta de produtores e municípios.
O júri das provas é composto por enólogos, provadores, somelliers e jornalistas do setor enogastronómico, tendo contado este ano pela primeira vez com um provador português, Sérgio Oliveira, enólogo da AMPV, sublinha a nota divulgada hoje. A AMPV afirma que, como entidade parceira, fez a promoção do concurso em Portugal, tendo as comissões vitivinícolas regionais dado apoio no envio de amostras, reduzindo os custos financeiros da operação. Segundo Sérgio Oliveira, Portugal pode "não ter os melhores vinhos do Mundo, mas tem vinhos para estar ao lado dos melhores".
Na prova estiveram 1400 vinhos de toda a Europa a concurso. As medalhas serão entregues a 06 de julho aos produtores e aos municípios vencedores. Diário Digital / Lusa
Prémio “Selezione del Sindaco” “VINHOS DE SILVES” PREMIADOS EM ITÁLIA
2010-5-27 Os vinhos “Marques dos Vales”, produzidos pela Quinta dos Vales, um dos produtores dos “Vinhos de Silves”, receberam uma medalha de ouro e uma medalha de prata no concurso Selezione del Sindaco – “A Selecção do Presidente”, que decorreu em Itália, Brindisi e é organizado pela Citta del Vino, congénere Italiana da Associação de Municípios Portugueses do Vinho (AMPV), da qual a autarquia silvense é membro. O Marquês dos Vales Grac Vineyard 2007 Tinto recebeu a medalha de ouro e o Marques dos Vales – Touriga Nacional 2008 foi galardoado com a medalha de prata, no concurso que decorreu nos dias 21, 22 e 23 de Maio e que contou, pela primeira vez, com a participação de 80 produtores de 22 Municípios de Portugal, filiados na AMPV. O Município de Silves foi um deles, tendo registado a sua inscrição e permitido, desse modo, que os produtores dos “Vinhos de Silves”, se associassem ao evento.

quarta-feira, 26 de maio de 2010

"Coração na Guiné" nasceu para ajudar as crianças da Guiné-Bissau!

Este projecto tem como principal objectivo a angariação e o envio de ajuda humanitária para a população carenciada da Guiné-Bissau, um dos países mais pobres do mundo onde a taxa de mortalidade materno-infantil não pára de crescer.
Depois do sucesso obtido na primeira campanha em 2009 em que muitos portugueses contribuíram para o envio de 62 toneladas de alimentos, roupa e material escolar destinados ao orfanato Casa Emanuel em Bissau surge agora a campanha "Coração na Guiné - Expedição 2010".
A nova campanha terá como objectivo a angariação de material hospitalar de forma a equipar várias unidades médicas na Guiné-Bissau e especialmente o Centro Médico da Casa Emanuel. Esta contará com uma expedição de 2 motos que irão percorrer os 7500 km que ligam Reguengos de Monsaraz a Bissau com a finalidade de entregar em mãos os donativos conseguidos.
Seja solidário e ajude a construir os alicerces para que as crianças da Guiné tenham um futuro mais risonho.
Crie um futuro de esperança na vida destas crianças!
Acompanhe a expedição em tempo real...:

terça-feira, 25 de maio de 2010

"HÁ DIAS ASSIM..." - FILIPA AZEVEDO APUROU-SE HOJE PARA A FINAL DA EUROVISÃO NO PRÓXIMO SÁBADO !

Portugal entre os dez semifinalistas de hoje apurados para a final
SÁBADO VÊ O FESTIVAL NO CANAL DO PAÍS ONDE VIVES E VOTA FILIPA  POR PORTUGAL !

O "AFRICA DAY 2010" HOJE EM BERNA e a Cerimónia comemorativa da autonomia dos Açores ontem

UM FIM-DE-TARDE COM UMA EXCELENTE FESTA DE AMIZADE EM BERNA - O AFRICA DAY !!!
A Cerimónia comemorativa da autonomia dos Açores ONTEM
Vi na RTPI e não gostei da imagem transmitida
Estando no Brasil, acabei de ver através da RTPI a cerimônia comemorativa da autonomia político-administrativa dos Açores, realizada na mais pequena ilha, o Corvo, e franzi o sobrolho.
Ao fim destes anos, julgava que o governo socialista açoreano já tinha evoluído e deixado de ser pesporrente e vingativo, mas não e explico porquê.
No palco, estavam apenas as bandeiras da Região Autónoma dos Açores e da União Europeia. Da Bandeira Nacional nem sinal, quando a mesma, até por imperativo protocolar, devia estar ao meio.
O discurso proferido por um dos membros do governo regional era um chorrilho de ataques ao Presidente da República, culminando com a ameaça velada de que voltariam a exigir aquilo que Cavaco vetou e bem, tal como o Tribunal Constitucional, como nos lembramos. Era o que faltava o PR até quase ter de ouvir os porteiros da Assembleia Legislativa Regional para a dissolver...
O Representante da República, que estava presente, tinha o dever de fazer uma de duas coisas: exigia a presença da Bandeira Portuguesa ou pura e simplesmente não comparecia à cerimónia!
Eu até sou daqueles que aceitaria a evolução das Regiões Autónomas para Estados Federados, mediante a competente alteração constitucional, mas assim não. É uma vingança de puro mau gosto, atentatória da solidariedade portuguesa, que nos últimos 35 anos tanto tem feito pelo desenvolvimento dos Açores. Portugal e os Portugueses não mereciam esta ofensa socialista. Não é verdade Dr. Mota Amaral? Felizmente que não o vi lá na cerimônia.
Encontro-me no Brasil, que é um Estado Federal e em qualquer Estado Federado a Bandeira Brasileira está por todo o lado e para qualquer brasileiro a mesma vem sempre em primeiro lugar. Se os socialistas açoreanos não gostam da Bandeira Portuguesa é lá com eles, mas não podem deixar de a respeitar!
Espero que o Sr. Presidente da República, mesmo no segredo dos gabinetes, não deixe de fazer sentir aos atuais (ir)responsáveis açoreanos, que não havia necessidade. http://sol.sapo.pt/blogs/brutus/default.aspx
Regras que regem o uso da Bandeira Nacional
Decreto-Lei n.º 150/87, de 30 de Março
Artigo 8.º
b) Havendo três mastros, a Bandeira Nacional ocupará o do centro;
Exemplo de colocação de 3 bandeiras, incluindo a portuguesa: http://www.freguesiasdeportugal.com/legislacao/badeiranacinal.htm

sábado, 22 de maio de 2010

Inter de Mourinho conquista a Champions após 45 anos ! - Dia 25 VOTE PORTUGAL NO FESTIVAL DA EUROVISÃO !

O Inter de José Mourinho conquistou após 45 anos a prova de clubes mais importante da Europa. Orientado pelo português José Mourinho, a equipa italiana derrotou em Madrid o Bayern Munique por 2-0, golos de Milito, aos 35 e 69.
Com este triunfo, Mourinho conquista o seu terceiro título europeu, depois da Taça UEFA (2003) e da própria Liga dos Campeões (2004), ambos triunfos com o FC Porto.
Veja aqui os dois golos de Milito na final:
A grande questão agora é saber onde Mourinho vai estar na próxima temporada, já que este nosso exemplar compatriota no exterior é dado como certo no Real Madrid. 
Força Portugal 2010
Acompanhe a preparação da nossa selecção para o Mundial 2010
Portugal - Cabo Verde
 Segunda, 24 de Maio de 2010, na RTPi às 20H15 de Berna
Vota aqui em Portugal:
 Atenção ao dia 25 de Maio
Na Eurovisão - Vamos votar Por Portugal !
É já na próxima Terça-Feira, 25 de Maio, que a nossa jovem Filipa Azevedo vai actuar com
"Há dias assim"
Verifique no país onde reside em que canal vão transmitir e ligue o número telefónico por ele indicado na nossa Filipa
Na Suíça será a SF2 - Eurovision Song Contest 2010 - Internationales Finale Oslo/Norwegen - 21h00 (.....14 Portugal - Filipa Azevedo )
Vamos todos telefonar e não desperdiçar o nosso voto !
Para todos aqueles que quiserem saber mais sobre o Festival da Eurovisão recomendamos a seguinte página: http://www.eurovision.tv/event/artistdetail?song=25023&event=1503
Força PORTUGAL !

UM HOMEM HONESTO

Deputados do PSD querem mais transparência na atribuição de subsídios às associações

Lisboa, 21 mai (Lusa) - Os deputados do PSD pela Emigração Carlos Gonçalves e José Cesário querem mais transparência nos apoios que o Governo dá às associações portuguesas no estrangeiro e criticam o fim das listas com os subsídios atribuídos nesse âmbito.
"Dantes eram publicados os apoios dados pela Direcção Geral dos Assuntos Consulares e Comunidades Portuguesas (DGACCP) às associações, mas desde 2007 que deixaram de ser publicados e deixou de haver transparência", disse hoje à Agência Lusa o deputado José Cesário.
De acordo com o social-democrata, a alteração deu-se quando a DGACCP "perdeu a autonomia financeira e os apoios começaram a ser processados pelo Departamento Geral de Administração do Ministério dos Negócios Estrangeiros".

O Duelo de Castas - Uma ideia para a nossa barra de códigos portuguesa "560" - Para Vencer o Futuro e criar UM CHOQUE PORTUGUÊS!

Baseado em fatos reais, o filme retrata os primeiros tempos da indústria do vinho em Napa Valley nos anos 70, e que culminou com a vitória das vinícola californiana Chateau Montelena na competição internacional de melhor vinho em 1976, em Paris, o que acabou colocando a região no mapa dos melhores produtores da bebida. In: http://pt.wikipedia.org/wiki/Bottle_Shock
Visite: http://www.viniportugal.pt (também em inglês e alemão)
Já conhece a quinta deste nosso grande amigo suíço em Portugal:
IMPOSTOS - ALERTA !
Nova tabela de retenção na fonte já em vigor
prejudica fortemente os funcionários portugueses activos no exterior
 CONSULTE AQUI A NOVA TABELA: 
Funcionários consulares e diplomáticos, professsores portugueses no exterior, etc, "à beira de uma crise de nervos" porque são igualmente abrangidos e tributados como se residentes em Portugal, para além de já sofrerem prejuízos cambiais. Alguns iniciaram entretanto tarefas paralelas como nos anos 70 para fazerem face aos compromissos e puderem pagar a renda de casa, creche dos filhos, seguros obrigatórios, etc.
Não admira que em breve se inicie como então venda de bilhetes de avião nos consulados, também pelos professores, oferta de abertura de contas bancárias, contratos de seguros e créditos, para que possam com um minimo de dignidade pessoal exercer as suas responsabilidades junto do país em que estão destacados. A HISTÓRIA REPETE-SE, PORQUÊ? - ALGUÉM ACORDA!
SABIA QUE O SISTEMA DE ARQUIVO DE IMAGENS "FADO" DA UE
 Tem como objectivo criar uma acção comum de todos os Estados Membros num sistema de imagens informatizado na luta contra a imigração ilegal e criminalidade organizada:
NADA TEM A VER COM: http://fado.com/index.php
 
NÃO HÁ CRISE

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Pedro Passos Coelho: «Se Sócrates mentiu, não tem condições para continuar»

ENTREVISTA HOJE NA TVI VER AQUI:
Consciência tranquila de ter colocado primeiro Portugal e o sentido de dever numa situação de emergência nacional - Ler aqui no novo "Povo Livre":
Suíça: O Acordo de Comércio Livre PARCIAL "Cassis de Dijon" com a UE entra em vigor dia 1 de Julho próximo
 
Les produits européens moins chers dès juillet

Le gouvernement a fixé au 1er juillet 2010 l’entrée en vigueur du principe dit du «Cassis de Dijon», qui fera baisser les prix des produits importés de l’Union européenne. Des dérogations à la libéralisation ont été accordées à près de soixante groupes de produits.
La révision de la loi sur les entraves techniques au commerce (LETC) prévoit l'application autonome du principe du Cassis de Dijon, sans réciprocité européenne. Celui-ci permet de vendre directement en Suisse des produits commercialisés dans un pays de l'UE. Sauf exceptions, ces biens ne devront plus satisfaire au préalable aux prescriptions helvétiques. Le but déclaré de l'opération est de faire fondre les prix des produits importés de l'UE en Suisse. «Des estimations prudentes des effets de la révision sur l'évolution des prix montre que cette refonte pourrait engendrer des économies annuelles se chiffrant en milliards», selon le secrétariat d'Etat à l'économie (SECO). Jusqu'ici, seule la moitié des produits importés de l'UE ne subissaient pas d'entraves techniques au commerce. Cette part devrait passer à plus de 80% désormais. Le Cassis de Dijon concerne principalement les cosmétiques, les textiles, les habits, les aliments et les meubles. Des dérogations ont été édictées dans les domaines des médicaments, de la protection de l’environnement, des denrées alimentaires et de la garde respectueuse des animaux.  swissinfo.ch et les agences

Marcelo regressa domingo à TVI por dois anos

Marcelo Rebelo de Sousa esteve ontem na SIC e disse ter saudades dos seus comentários na televisão. O regresso do social-democrata aos ecrãs está marcado já para o próximo domingo depois de ontem ter assinado contrato com a TVI.
Passos Coelho é hoje entrevistado na TVI
Pedro Passos Coelho será entrevista esta quarta-feira à noite na TVI. O Especial Informação, conduzido por Constança Cunha e Sá, começa às 20:50h. Segundo justifica a estação, "após o acordo com o Governo, o pedido de desculpas ao país e uma união entre os dois maiores partidos, chegou o momento dos portugueses saberem o que pensa Pedro Passos Coelho".
PSD não achou piada ao «tango» que Sócrates evocou com Passos
O porta-voz dos sociais democratas considerou hoje que o primeiro ministro, José Sócrates, fez "uma brincadeira de mau gosto" ao comparar a cooperação com o presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, a dançar o tango.  "Eu penso que estas matérias não podem ser levadas para o lado lúdico. Acho que é uma brincadeira de mau gosto querer pôr as questões nesses termos", declarou Miguel Relvas, em conferência de imprensa, na sede nacional do PSD. Miguel Relvas respondeu desta forma aos jornalistas, que o questionaram sobre as declarações feitas pelo primeiro ministro na segunda feira, em Madrid, sobre a mudança na liderança do PSD. Falando em castelhano, José Sócrates declarou: "Como se diz em espanhol para dançar o tango são precisos dois. Durante muitos meses não tinha parceiro para dançar". “Felizmente houve uma mudança na oposição. Tem agora um líder que olha para a situação com responsabilidade e patriotismo", acrescentou o primeiro ministro, considerando que fez com Passos Coelho "um bom acordo para ajudar o país a enfrentar o desafio actual". Diário Digital / Lusa
Aumento de impostos: Sócrates recusa-se a pedir desculpa
O primeiro ministro recusou-se na terça-feira a pedir desculpa aos portugueses por ter aumentado os impostos, dizendo que só o faria se não tivesse coragem para tomar as medidas necessárias face a um quadro de crise financeira.
 A ENTREVISTA

sábado, 15 de maio de 2010

José Cesário - O Coordenador do Secretariado de Emigração do PSD esteve hoje em Berna - Suíça - ONDE FOI LEMBRADO QUE O "CÓDIGO DE BARRAS 560" A NÍVEL MUNDIAL É O FUTURO DE PORTUGAL !

O Coordenador do Secretariado de Emigração do PSD, José Cesário, acompanhado do Presidente da Secção do PSD em Estrasburgo (França), Joaquim Santos, esteve hoje em Berna, a convite do presidente da Secção do PSD local, António Dias da Costa, para um jantar de reflexão sobre o futuro do partido nas Comunidades Portuguesas no restaurante "Commerce" do jovem casal de sucesso Rui e Anabela Pacheco, naturais de Viseu. http://www.restaurant-commerce.com

ANTÓNIO DIAS DA COSTA APROVEITOU PARA PERGUNTAR ALI PORQUE NÃO DIVULGAR-SE O MOVIMENTO EXISTENTE DESDE DE 2005 EM TODA A IMPRENSA NACIONAL E JUNTO DAS COMUNIDADES PORTUGUESAS?:
APOIAR PORTUGAL !!!
LEI-A AQUI TAMBÉM O NOVO "POVO LIVRE" - 36 ANOS DEDICADOS A PORTUGAL:

quinta-feira, 13 de maio de 2010

COM 81 ANOS - EXCELENTE !

Janey Cutler - no Britain's Got Talent 2010

Mendes Bota preside ao Grupo Parlamentar Amizade Portugal/Polónia

O deputado do PSD Mendes Bota tomou ontem posse como presidente do Grupo Parlamentar de Amizade Portugal-Polónia, recentemente constituído por decisão da Assembleia da República.
A intenção do Grupo Parlamentar de Amizade agora constituído é contribuir para o reforço das relações bilaterais entre Portugal e a Polónia, bem como para um contacto mais estreito com a representação diplomática daquele país em Lisboa e com a comunidade polaca residente no país.

Vantagens de um cão “calmo”

Saiba quais são as medidas propostas para combater o défice - JN

Conheça as quatro medidas já conhecidas que vão ser propostas pelo governo no combate à crise
 Famílias levam menos para casa
Todos os meses, a entidade patronal entrega ao Fisco uma parte do salário dos trabalhadores, a título de retenção na fonte para IRS, ou seja, as pessoas vão fazendo uma espécie de poupança mensal e, chegada a altura de entregar a declaração de IRS, vê-se se já entregaram dinheiro suficiente para pagar o imposto, se entregaram a mais (e têm a receber) ou a menos (e têm a pagar). O desconto mensal é feito mediante tabelas publicadas todos os anos, mas as relativas a 2010 ainda não saíram. As informações ontem disponíveis levavam a crer que, quando saírem, já irão reflectir o aumento de 1% no imposto a pagar pela maioria das pessoas, ou de 1,5% para quem está nos escalões superiores.
Se assim for, um trabalhador solteiro sem filhos com um salário bruto mensal de 2310 euros agora desconta 439 euros por mês, mas passará a entregar 462 euros; a mesma pessoa, mas com um salário bruto de quatro mil euros desconta 960 para IRS; com o aumento, passará a descontar mais 60 euros por mês. No caso de casal em que ambos trabalhem, com dois filhos e salário de cerca de mil euros, cada um desconta perto de 70 euros; e passará a entregar ao Estado mais dez; se ganhar cerca de quatro mil euros, agora entrega 960 euros, mas passará a entregar 1020 euros. Quem ganha até ao salário mínimo nacional não paga IRS. Estes valores são aproximados, calculados com base nas tabelas de retenção de 2009, que estão a ser ainda usadas pelas entidades patronais, já que o Governo ainda não fez sair as relativas a 2010.
Para já, e mediante dados de 2007, calcula-se que perto de três milhões de famílias pagarão mais 1% de taxa de IRS e que perto de meio milhão entregará ao Estado mais 1,5%.
Todas as taxas de IVA irão subir
O Governo tenciona aumentar em um ponto percentual todas as taxas de IVA, ou seja, a máxima passará de 20 para 21%; a intermédia de 12 para 13%; e a mínima de 5 para 6%. Pela primeira vez, haverá mexidas nas taxas intermédia e mínima, pelo menos, como medida de urgência e em cenário de crise.
No caso concreto da taxa mínima, ficam abrangidos os bens de primeira necessidade, como leite, manteiga, queijo, iogurtes, pão, farinhas, cereais, arroz, carne e peixe, ovos, legumes e fruta, entre muitos outros. Na lista dos bens e serviços sujeitos à taxa intermédia de 12%, constam a prestação de serviços, nomeadamente, de restauração e hotelaria, conservas, vinho, frutos secos, flores, além de outros.
Na classe de produtos sujeitos à taxa máxima, entram todos os que não constam nas outras duas listas previstas no Código de IVA, como vestuário, calçado, produtos de higiene, electrodomésticos e outros bens duradouros. Ainda quanto à taxa de 20%, o Governo decide agora repor os 21% que tinham sido implementados em Julho de 2005, no ano em que tomou posse. Na ocasião, a subida foi de dois pontos percentuais, de 19 para 21%, com o objectivo de diminuir o défice que então se situava nos 6,83%, valor apurado pela Comissão Constâncio, criada para o efeito. Na altura, o ministro das Finanças, Campos e Cunha, apresentou um conjunto alargado de medidas de contenção da despesa e aumento de receita, sendo que muitas delas, de âmbito fiscal, acabaram por não se concretizar, como foi o caso da passagem de alguns produtos da taxa intermédia de IVA (12%) para a taxa normal.
No entanto, o mesmo Governo de José Sócrates desceu o Impostos Sobre o Valor Acrescentado em Julho de 2008, precisamente o ano em que a crise financeira veio a agudizar-se com a falência do Lehman Brothers, em Setembro. Em 2009, a receita total de IVA para o Estado foi de 10 844,7 milhões de euros, menos 18,9% face a 2008.
Estima-se que uma subida na taxa máxima em um ponto percentual renda cerca de 600 milhões de euros por ano. Agora, como o Governo também vai subir as outras taxas, o encaixe deverá ser muito superior.
2,5% - Empresas pagam imposto de crise
Se estivesse já em vigor o "imposto de crise" de 2,5% sobre os lucros das maiores empresas que agora está em cima da mesa, a EDP, a Portugal Telecom e a Galp Energia teriam pago mais 54 milhões de euros a título de imposto sobre os lucros obtidos no ano passado. As três empresas, que estão entre as maiores do país, entregaram aos cofres do Estado cerca de 730 milhões de euros por conta dos resultados líquidos obtidos em 2009.
E os cinco maiores bancos a operar em Portugal - Caixa Geral de Depósitos, Espírito Santo, Banco Comercial Português, BPI e Santander - teriam entregue aos cofres do Estado mais cerca de 43 milhões. São apenas exemplos aproximados do impacto que terá o imposto extraordinário sobre os lucros das empresas que o Governo pretende aplicar este ano.
A proposta de contenção do défice público apresentada ontem pelo Governo ao PSD prevê a aplicação de um "imposto de crise" de 2,5%. Os alvos serão as grandes empresas, incluindo a Banca, mas não foi possível ainda apurar em concreto quais as empresas atingidas.
Em todo o caso, nos últimos anos, a taxa média de imposto efectivamente pago pelas empresas (depois de todas as deduções que podem fazer) tem vindo a cair. Os últimos dados disponíveis, relativos a 2007, indicam que, em média, as empresas portuguesas pagaram 15% de IRC.
Cortes para dar o exemplo
O corte nos vencimentos dos deputados poderá representar uma poupança mensal que ultrapassa os 43 870 euros, se multiplicarmos a medida pelos 230 eleitos à Assembleia da República.
Por sua vez, multiplicado este valor por 14 vencimentos, a tesourada é superior a 614 mil euros por ano. A proposta de redução em 5% dos salários abrange os outros titulares de cargos políticos, como ministros, autarcas e presidentes dos governos regionais, mas também os gestores públicos e dirigentes de entidades reguladoras.
Entre os presidentes de câmara, os maiores cortes são em Lisboa e no Porto, onde o vencimento é 55% do salário do chefe de Estado: Rui Rio e António Costa perdem 5% dos cerca de 4200 euros mensais (passam a auferir menos 210 euros). Em Gaia, o vencimento actual de Luís Filipe Menezes é à volta de 3800 euros (ganhará menos 190).
Conselho Nacional do PSD decorreu em Santarém
 
O Conselho Nacional do PSD reuniu extraordinariamente no dia 11 de Maio no CNEMA em Santarém. Pedro Passos Coelho apresentou aos conselheiros nacionais do PSD o caderno de encargos que vai apresentar a José Sócrates para viabilizar as medidas de austeridade a apresentar em Bruxelas. Falando de uma situação de "emergência nacional" e sem informação quantificada e definitiva do Governo socialista sobre as medidas que estão a ser preparadas pelo Partido Socialista, o líder do PSD pediu ao Conselho Nacional um mandato para que, na reunião com José Sócrates, possa exigir que "os sacrifícios adicionais que vierem a ser apresentados pelo Governo" sejam "distribuídos de forma justa e equilibrada, com o Estado a dar o exemplo".
O texto apresentado no Conselho Nacional do PSD declara que "para que estes sacrifícios dos portugueses valham a pena será, ainda, importante garantir o compromisso do fim do recurso à desorçamentação pública, fixar limites ao endividamento das empresas públicas e abolir qualquer excepção à observância do Código da Contratação Pública, por parte de serviços ou empresas participadas pelo Estado". Para "garantir a transparência e o rigor da aplicação das medidas que vierem a ser aprovadas, deverá ser supervisionada a monitorização mensal da execução orçamental, por entidades independentes do Governo, sediadas junto da Assembleia da República e reforçadas nos seus meios". Pedro Passos Coelho quer que, "num momento em que se pede aos portugueses sacrifícios excepcionais, a classe política e os gestores públicos dêem o exemplo", com um corte sobre os vencimentos dos políticos e gestores públicos de, pelo menos, 2,9% (o mesmo montante em que subiram em 2009).
Em pano de fundo, ficou uma forte crítica a Sócrates: "A razão fundamental" da crise portuguesa está "nas políticas seguidas" pelo Governo.

terça-feira, 11 de maio de 2010

Faleceu o nosso lutador e amigo Mário Montalvão Machado, um dos fundadores do PSD

Um dos mais emblemáticos militantes do PSD morreu hoje, aos 89 anos, em casa, em Santo Tirso. Mário Montalvão Machado licenciou-se em Direito, na Universidade de Coimbra, tendo sido um dos fundadores do Partido Social Democrata e presidente do grupo parlamentar da Assembleia da República entre 1988 e 1992. Em 2007, o advogado portuense foi agraciado pelo Presidente da República com a Grã-Cruz da Ordem da Liberdade. O corpo de Montalvão Machado encontra-se em Câmara Ardente na Igreja das Antas, no Porto, e o funeral realiza-se amanhã de manhã no cemitério do Prado do Repouso.
Um dos Homens Grandes. Um Homem que se dava ao respeito e que tinha dificuldade em perceber a política e os políticos dos dias de hoje. Em todas as decisões pessoais e políticas, Mário Montalvão Machado falava de Honra e Respeito e não percebia que algumas se tomassem sem essa consideração. Mantinham-se inexplicáveis se não fossem fundamentadas com (ao menos) um desses valores. O Homem que não foi Presidente da Assembleia da República por ter abandonado a sala para não falar de si próprio; o Homem que num Congresso aos pulos e aos berros contra um militante, gritou exigindo respeito; o Homem que liderou sem retorno a bancada do nosso Partido; o militante nº 6, um dos que o fundou, faleceu hoje e leva consigo um pouco da alma social-democrata. Um bem haja onde quer que estejas. http://psicolaranja.blogs.sapo.pt
Quem deve pagar o pacote de ajuda ao Euro?  
A zona do euro vive uma crise sem precedentes na sua história. (Keystone)
O pacote de 750 milhões de euros foi criado para ajudar temporariamente os países em déficit da zona euro e salvar a própria moeda.
O professor Dirk Niepelt, diretor do Centro de Estudos de Gerzensee na Suíça, tem dúvidas sobre a eficácia do plano a longo prazo.
Os mais de um trilhão de francos garantidos pelos países da União Europeia e o Fundo Monetário Internacional (FMI) à zona euro são somas gigantescas, sobretudo frente ao PIB e receita fiscal das economias dos países atingidos.
swissinfo.ch: Como o senhor avalia as medidas tomadas nesse último final de semana?
Dirk Niepelt: O que considero positivo no pacote de medidas é que alguns países sob pressão confirmaram claramente tomar medidas adicionais para estabilizar seus orçamentos.
Porém essas medidas não evitam a médio e longo prazo problemas consideráveis. Em primeiro lugar, elas estão baseadas na premissa de que dívidas públicas sejam garantidas pelos contribuintes de outros países.
O resultado é que essa possível redistribuição de recursos enfraquece os incentivos à manutenção de uma política fiscal favorável ao orçamento. Por outro lado, existe também o perigo da credibilidade do Banco Central Europeu (EZB, na sigla em alemão) sofrer com isso.
As intervenções se justificam muito mais por um raciocínio de curto prazo. Em particular, existe um temor de que os especuladores percam a visão sobre os dados fundamentais e que, por isso, ocorram excessos no mercado.
Em tais situações pode ser útil definir um sinal claro. Mas este precisa ser credível, sobretudo para que o efeito desejado seja duradouro. A magnitude dos compromissos firmados durante o final de semana lança, porém, dúvidas.
Finalmente não é possível esquecer que a fraqueza do euro atualmente combatida também tem seu lado positivo. Sobretudo a indústria de exportação de alguns países da zona euro com problemas de balanço comercial poderiam tirar proveito da desvalorização do euro.
swissinfo.ch: Qual o papel da Suíça nisso?
D.N.: Parto do princípio que o Banco Central Suíço (BNS) esteja atuando estreitamente junto com outros bancos centrais estrangeiros para combater uma retomada da incerteza no mercado interbancário, na raiz dos problemas.
swissinfo.ch: O euro teve uma valorização marcante na segunda-feira. Esse grande entusiasmo pode passar em uma semana?
D.N.: Muitos atores no mercado financeiro estão claramente satisfeitos com as promessas feitas no final de semana. No entanto, é bem possível que o programa de estabilização venha a mostrar ter sido uma vitória de Pirro.
Os problemas fundamentais foram solucionados a médio e longo prazo apenas de forma parcial. Pelo contrário: caso haja uma perda de credibilidade em relação ao BCE, então podem surgir novos problemas.
Dirk Niepelt, diretor do Centro de Estudos de Gerzensee. (zVg)
swissinfo.ch: O pacote pode ter uma influência sobre a inflação?
D.N.: A ideia básica da rede de segurança é que os compromissos dos países atingidos sejam financiados através das receitas fiscais e não desvalorizados através de uma repentina inflação. Essas receitas fiscais devem ser originadas, ou dos próprios países, ou, no caso das garantias, de outros Estados europeus.
Dessa forma, não há uma ameaça imediata de inflação. Porém, a condição é que o BCE possa defender sua autonomia e também a política de estabilidade da moeda.
No caso de garantias no valor de centenas de bilhões de euro questiona-se naturalmente se os países do euro querem, e tem condições, de financiar os pagamentos já confirmados aos países vizinhos, se isso for necessário. Ou se eles também pressionarão o BCE por ajuda.
Nesse contexto, será importante que o BCE mostre que vê como sua principal função a defesa do poder de compra do euro e não a solução de problemas fiscais de determinados países da zona euro. Ele também tem de deixar claro que entre esses dois polos não existe uma correlação imediata e direta.
swissinfo.ch: A imprensa suíça também reagiu de forma cética ao pacote, assim como a britânica. Suas críticas vão mais contra os causadores dos déficits, enquanto a imprensa na zona euro vê nos especuladores e nas agências de rating os principais inimigos. Quem é o verdadeiro culpado?
D.N.: É possível que a especulação tenha agravado os problemas fundamentais nos últimos dias, mas ela não é seguramente a principal causadora. Os especuladores são responsáveis, em parte, por funções importantes em uma economia.
Na política europeia já se defendeu no passado uma posição em que os problemas da dívida de determinados países do euro representam um perigo direto para a moeda. Isso não precisa ser necessariamente verdadeiro. Um Estado de uma confederação como a dos Estados Unidos pode, por exemplo, ir à falência sem que isso tenha uma influência imediata sobre o dólar.
Nesse sentido, o BCE poderia ter reagido a essa situação de uma forma mais comedida e não ter se deixado convencer que se tratava de defender a “comunidade de destino” Europa.
swissinfo.ch: A crise do euro tornará os suíços ainda mais céticos em relação à União Europeia?
D.N.: Não me surpreenderia se isso ocorrer.
swissinfo.ch: Frente a essa grande dimensão de déficits, será que os europeus irão relativizar sua ira contra o setor financeiro helvético e a evasão fiscal?
D.N.: Em curto prazo o debate sobre o setor financeiro da Suíça e a evasão fiscal irá atrair um pouco menos a atenção.
Porém, os problemas fiscais de muitos países não estão resolvidos. A questão de como os gastos públicos devem ser cobertos não irá perder, portanto, sua importância. Alexander Künzle, swissinfo.ch - (Adaptação: Alexander Thoele)
Dirk Niepelt
Dirk Niepelt é diretor do "Centro de Estudos de Gerzensee", professor na Universidade de Berna e professor visitante no "Institute for International Economic Studies" (IIES) da Universidade de Estocolmo.
Niepelt fez seu doutorado em economia no renomado MIT ( Massachusetts Institute of Technology) em Boston e na Universidade de St. Gallen. In: http://www.swissinfo.ch/por/economia/Quem_deve_pagar_o_pacote_de_ajuda_ao_Euro_.html?cid=8857096

segunda-feira, 10 de maio de 2010

IR Á FEIRA DO LIVRO NÃO É UM PREVILÉGIO PARA QUEM VIVE NO EXTERIOR !

Afonso Costa uma biografia fiável
É uma edição do Autor. Bom sinal!... O Autor, Eurico Carlos Esteves Large Cardoso, remata as suas "Palavras prévias" assim brilhantemente: «Nós, monárquicos por convicção, temos, porém, sempre em vista, tratar os assuntos dos nossos "adversários" políticos com a maior objectividade, veracidade e isenção, atributos de que já demos provas em anteriores trabalhos, pela simples razão do sectarismo não ser a nossa bandeira, nem a maledicência a nossa divisa»
De modo que fomos procurando dados biográficos desse que se doutorou em 1895, em Direito, com 17 valores e uma tese em que atacava violentamente a Rerum Novarum, pobre coitada! Foi o advogado mais tributado pelo Fisco, gostava de viver bem e tinha automóvel (um dos 300 então existentes em Portugal). Não obstante, preconizava o «socialismo económico na República».
Conseguiu ser eleito deputado pelo Porto. em 1899, aproveitando o descontentamento gerado nas populações pelas medidas recomendadas pelo insígne Ricardo Jorge (que abandonou a cidade sob ameaças de morte) aquando de um surto de peste bubónica.
Sobre ele escreveu Sampaio Bruno: «pseudo-republicano, desleal republicano, que tudo faz para ser deputado, jogando com um ramo de republicanos e socialistas e outro de monárquicos, audacioso piritoso, um Dr. Alonso». Em resposta, Costa esmurrou-o em público. Esmurrou um ancião, ele que andaria pelos 30 anos.
Há muito que ler. Remato com este episódio, ocorrido em 4 de Outubro de 1910, quando Afonso Costa, que prudentemente não comparecera à Rotunda, julgou ser vitima de um atentado contra a sua pesoa. Ouviu tiros, convenceu-se que fora atingido. O médico republicano Malva do Vale, que o detestava, mandou-o despir e observou-o, após o que «declarou sarcásticamente que ele tinha no corpo um buraco de nascença e natural».

domingo, 9 de maio de 2010

A REALIDADE: - Não lixem o povo. Caso contrário...

Li hoje no Publico que "o líder social-democrata Pedro Passos Coelho declarou hoje, em Lisboa, que se reunirá com o primeiro-ministro José Sócrates, para discutir as medidas que possibilitarão a redução do défice nacional, entre segunda e terça-feira". Só lhes recomendo uma coisa: nem se atrevam, repito, não se atrevam a lixar mais o povo! O bloco central dos interesses, da corrupção, do descalabro orçamental e do gamanço prepara-ser para esquartejar ainda mais o país e esmagar este povo já sacrificado. Não se atrevam. Porque vai sendo tempo do povo português deixar de ser uma cambada de papa-açordas. E em vez se querer ser um paspalhão - do qual todos abusam, e a quem todos lhes exigem sacrifícios, sem conhecermos os responsáveis por tudo isto - aproxima-se a hora de defender a sua dignidade e os seus direitos na rua, protestando contra o capitalismo selvagem disfarçado ou não, contra os oportunistas selvagens que se escondem em partidos de "esquerda" mas que só pensam no gamanço, no dinheiro, nas negociatas, enfim contra a corrupção e os bandalhos que delapidam os cofres do Estado e roubam as empresas e as famílias portuguesas. Diz ainda a notícia que "ficou apenas combinado que até segunda ou terça-feira nos encontraríamos pessoalmente para acertar estas medidas”, disse Passos Coelho, durante a sessão de autógrafos do seu livro “Mudar” (lançado no início do ano) na Feira do Livro de Lisboa.Segundo o líder do PSD, “o Governo está ainda com o ministro das Finanças (Teixeira dos Santos) a participar da reunião da Ecofin, em Bruxelas, e é suposto que, entre hoje ao fim do dia e amanhã, o próprio Governo tenha a oportunidade de preparar estas medidas e só nestas circunstâncias é que poderemos discutir com o Governo”. s ministros das Finanças da União Europeia adoptarão hoje em Bruxelas um novo mecanismo de estabilização e defesa da zona euro, acordado sexta-feira pelos chefes de Estado e de Governo dos países da moeda única. esse quadro, os líderes da zona euro decidiram, na sexta-feira, também acelerar as medidas de consolidação orçamental, tendo Sócrates anunciado aos seus colegas que o Governo português decidiu reduzir a meta do défice para este ano dos 8,3 por cento previstos no Programa de Estabilidade e Crescimento (PEC) para 7,3 por cento. Portanto, eu aguardo que o Governo esteja em condições de dizer quais são as medidas que vai propor para atingir este reforço de objectivo que o primeiro-ministro anunciou, e do meu ponto de vista bem, de até ao final deste ano conseguir recuar mais um por cento do que inicialmente estava previsto no Programa de Estabilidade e Crescimento (PEC) para o défice português” referiu Passos Coelho. Segundo o líder social-democrata, “isto é muito importante nesta altura para a credibilidade externa do país, para que o Banco Central Europeu e também a Comissão (Europeia) sintam que Portugal está a fazer o seu trabalho de casa e para que os portugueses tenham noção de que os mercados internacionais só verão Portugal com mais credibilidade se nós reforçarmos as medidas de controlo do défice e da despesa.”Agora vamos aguardar, sabemos que serão, com certeza, medidas que exigirão sacrifícios adicionais ao país e portanto têm de ser vistas com muito cuidado, porque os sacrifícios devem ser repartidos com a maior justiça possível”, finalizou Passos Coelho".

Campeões!

Vi na televisão que começaram os desacatos no Porto, na Avenida dos Aliados. O Porto é uma cidade tão simpática, com gentes maravilhosas e que sabem receber. É triste ver que um conjunto de pessoas mal formadas, instigadas por dirigentes pouco escrupulosos, consegue dar cabo da imagem de uma cidade e do seu clube.
O futebol é motor de união logo na infância
É a jogar à bola que conhecemos os nossos primeiros amigos, é atrás do "esférico" que selamos relações com os colegas de escola e com os companheiros de brincadeiras. Hoje, e apesar de uma época que muitos tentaram manchar com actos de violência física e verbal, o futebol volta a juntar a maioria dos Portugueses. O Glorioso ganhou, e justamente.  A festa que se antevê fará desta noite a segunda mais longa do ano, a seguir à de 31/Dezembro. Vivó Benfica.

Nuvem...vermelha!

Sabiam que a causa da "maldita" afinal não tem nada a ver com o vulcão da Islândia? Cientistas terão descoberto que tudo se ficou a dever ao facto dos adeptos do Benfica terem retirado dos armários os cachecóis e os terem sacudido para comemorarem o título este ano. Uma poeirada avermelhada que deu origem ao novo fenómeno da nuvem...